FOGO AMIGO

Roleta russa e pente carregado
Na mente guerra de contradição
No final tô sempre do meu lado
Caranguejo em panela de pressão

Aqui baía de todos os santos
Quem sou eu sem uma etiqueta? 
Pouco tempo tudo perde o encanto

Fogo amigo
Que me habita
Fogo amigo
Que nos engana
Fogo amigo  
Que dá esperança

Corvo canta desafinado
O suspiro de uma canção
De um povo sempre açoitado
Dia morre livre na prisão 

Voz se cala no calor dos canos
Justiça escorre cega na sarjeta
História segue com os mesmos donos

Fogo amigo
Que me habita
Fogo amigo
Que nos engana
Fogo amigo
Que dá esperança

Legítimo clandestino, sentimental desalmado
Violentamente calmo na egoísta caridade
Selvagem civilizado, ansiosamente sedado
Compaixão indiferente na evitável fatalidade

Distribuímos esmolas como santos
Mas não queremos que eles tomem a mesa
Meus sonhos dormem em desencanto

Fogo amigo
Que me habita
Fogo amigo
Que nos engana
Fogo amigo
Que dá esperança

Fogo amigo
Morre e mata
Fogo amigo
Preso na batalha
Fogo Amigo
Fogo Amigo